Wikipedia

Resultados da pesquisa

segunda-feira, 14 de maio de 2012

FRAGATA "COMANDANTE JOÃO BELO"

"HISTÓRIAS DE MARINHA E DE 
MARINHEIROS"




PRIMEIRA VOLTA AO MUNDO DO NRP"SAGRES" - 1978/1979





SAÍDA DE LISBOA  DO NAVIO-ESCOLA SAGRES - 1978


Sabia que? 
No dia 23 de junho mas de 1978 o Navio-Escola Sagres partia para aquela que foi a primeira volta ao mundo ao serviço da Marinha Portuguesa.
Imagem da Sagres fundeada no Tejo com a guarnição prestando honras ao Presidente da República, pouco antes de largar para a primeira viagem de circum-navegação.



FOTO DA PÁGINA OFICIAL DA MARINHA DE GUERRA PORTUGUESA
BRASÃO DE ARMAS DA "SAGRES"
(CRESTA)




   ACONTECEU EM NAGASAKI (JAPÃO) 



Fonte:-japan-cruise.com

OS DOIS MARINHEIROS DISTINGUIDOS EXIBINDO A SUA MEDALHA



CRÓNICA DE VICTOR MOREIRA-SGC 


VICTOR MOREIRA
SGC - TFD
Camaradas, é com muito prazer que partilho convosco uma história verídica contada na 1ª pessoa, passada na véspera de ano novo (1978/79 no decurso da 1ª Volta ao Mundo do Navio Escola "SAGRES" da Marinha de Guerra Portuguesa), no outro lado do Mundo, na cidade de Nagasaki no Japão.

Tinha saído com uns camaradas para beber uns "sákés" (aguardente de arroz tradicional, que à primeira vista aparenta ser água mas não é acreditem), e ver a vida nocturna da cidade que é soberba. Claro que regressamos com "os pés molhados a Bordo". Estava eu a despir-me para ir “carregar as baterias”, quando ouvi um chapão na água e gente a gritar, ou antes a falar mais alto, (acho que os Japoneses nunca gritam), e porque apesar da meia-noite estar já bem distante, ainda havia naturais no molhe a ver a nossa Linda “BARCA”.

Um Senhor de idade avançada e bastante corpulento que estava a admirar a “SAGRES”, descuidou-se e caiu à água, ficando em perigo de vida porque o navio devido à "calema" afastava-se e batia com alguma violência nas defensas de protecção no molhe.

Assomei-me à vigia, que nesta coberta estava a apenas 1 metro da linha de água, vi o que se passava, e foi sem hesitação, que entrei na água e puxei o Senhor para uma reentrância entre dois pilares do molhe, até que o Grupo de Serviço no convés também já em acções de Salvamento, me atirou uma bóia salva vidas amarrada a uma retenida, e fez descer pelo costado uma escada "quebra-costas".

Colocada como pude a bóia no Senhor, (era um pouco forte e não foi fácil), coloquei-o às cavalitas e lá fui eu pela escada acima ajudado pelo pessoal que puxando a retenida presa à bóia, tornou o salvamento possível.

Só então é que reparei que estava em “trajes menores”, e que a água nessa altura do ano e ainda por cima aquela hora está com os "Celsius" muito pouco aconselháveis para a prática da natação.

Foram 4 horas de baixo do chuveiro com água o mais quente possível como se nada fosse, estava em hipotermia com a pele de um tom roxo-azulado lindo.

A Televisão e repórteres fotográficos que já tinham tudo preparado a bordo para a festa de Passagem de Ano, "embandeiraram arco", e vieram logo pela manhã saber mais sobre os acontecimentos dessa madrugada e fazer a reportagem da cerimónia.

A Cidade de Nagasaki fez questão de nos distinguir, com uma Medalha Oficial e um Documento Tradicional selado, além de outras ofertas, em homenagem ao que consideraram ser um acto de bravura, oferecido pela Prefeitura/ Departamento Policia da Cidade.

Nesse dia à noite na passagem de ano a bordo, barris de Saqué enormes abundavam pelo convés da SAGRES, mas eu já não lhes dediquei assim tanta atenção, a cabeça ainda acusava " a ressaca" da véspera, havia recepção a bordo e eu estava de serviço.

Fiquei a saber que os Japoneses não brincam em serviço, quando se trata de homenagear quem por eles faz alguma coisa de relevante, já o mesmo não posso dizer dos "ilustres" do meu País, para quem estes acontecimentos embora tenham sido na altura divulgados, não mereceram qualquer atenção, nem pareceram ter impacto na Imagem do País e da sua Marinha no Estrangeiro, é esta a minha única tristeza.

Hoje olhando para as ofertas que tenho cá em casa uma medalha enorme muito bonita, e um diploma escrito em Japonês, onde algures consta o meu nome escrito nessa língua, uma foto da entrega da medalha, (onde está também o 1º Marinheiro A, que se encontrava no convés de serviço, que foi também ele agraciado), não posso deixar de reviver essa noite única, em que o destino quis que deixá-se a minha marca, em alguém desse País cuja vida ajudei a preservar.

Com mágoa penso e acredito, que se eu fosse na altura um Graduado e não um modesto 1º MAR TFD a protagonizar esta "história", que as coisas teriam sido muito diferentes. Mas isso é outra história.

Nesta, tenho a certeza que a Marinha de Guerra Portuguesa, o Navio Escola “SAGRES”, e os seus Militares, saiu trajada de “grande Gala” ao ter deixado novamente no Japão boas recordações e imagem, também devido a este singelo acontecimento.

Acredito que haja alguém ainda por lá no Japão que se recordará dessa madrugada do dia 31 de Dezembro de 1978 de boa memória.


Victor Moreira
SCH TF



OS MARINHEIROS VICTOR MOREIRA, À ESQUERDA E VIEGAS
(Esta foto é propriedade do autor do Texto-Victor Moreira)
À equipa do Google por favor informem as razões deste barramento!!!

OS MARINHEIROS VICTOR MOREIRA, À ESQUERDA E VIEGAS
(PORQUÊ???)




MEDALHA COM QUE FORAM AGRACIADOS , PELA AUTORIDADES LOCAIS
CARTA DE AGRADECIMENTO, RECEBIDA SÓ PELO VICTOR MOREIRA,
ENTREGUE PELAS AUTORIDADES DE NAGASAKI

TRADUÇÃO OFICIAL DO DOCUMENTO APRESENTADO EM JAPONÊS,
GENTILMENTE TRADUZIDO PELA EMBAIXADA DO  JAPÃO


MAIS UMA RECOMPENSA OFERECIDA PELOS JAPONESES AO
VICTOR MOREIRA (PORCELANA GENUINAMENTE JAPONESA)


TODAS AS FOTOS QUE ILUSTRAM ESTA CRÓNICA, FORAM GENTILMENTE CEDIDAS PELO PRÓPRIO AUTOR DO TEXTO, A QUEM ESTE BLOGUE AGRADECE ENCARECIDAMENTE

segunda-feira, 7 de maio de 2012



NRP " COMANDANTE JOÃO BELO"

( Foto partilhada de "carvalhaisdelavos.blogspot.com")



HISTÓRIAS DE MARINHA
 E DE

 "MARINHEIROS/AS"

Medronhos-frutos da mata da BNL

NOTA DO BLOGUER : - O texto apresentado, é integralmente  escrito pela
 autora e reproduzido neste blogue.
Cortesia:- Maria João Rivotti **(QPCM)



RECORDANDO


Foto propriedade da autora do texto
 (À equipa do google, por favor
não eliminem a foto)
Dizem que os cheiros nos trazem à memória momentos inesquecíveis da nossa vida?! sim.

Parece que me estou vendo a correr por aquela bela mata de terra batida e enfeitada por belos medronheiros, por onde eu corria e saltitava, sempre com uma paragem num mini “jardim zoológico“ que ali existia… este belo mundo da minha infância era a bela mata da BNL
E, lá ia eu, pela mão do senhor Comandante Marcos Vieira Garin, de cuja mulher minha mãe era amiga, e que ficavam longos momentos conversando, na “ Praia da Bomba”…ah! ainda me lembro daquele famoso dia em que entrei rio adentro toda vestidinha e de botifarras…foi memorável…e, o trabalho que eu dei à marinha!! 

Recordo a chegada da vedeta ao cais das colunas, que, generosamente, os senhores Comandantes Garin ou Flecha de Mendonça, mandava para vir buscar, a mim e à minha mãe…

E fui crescendo…crescendo e, não querendo recuar demais, pois a estória é longa!

Sou neta de “marujo”, que honrava como um “pai” o senhor Almirante Ramalho Ortigão e sua distinta mulher, a Dona Teresita…Sou prima de “marujos”…Sou filha de “marujo aviador”…

E, acreditem! eu, que dizia não querer casar com nenhum “marujinho”, me apaixonei, nos apaixonámos…por um “reserva naval”. foi amor à primeira vista..acreditem!!

Ficou na história da briosa…deu muito trabalho e choros, pois eu era aquela miúda, saída da faculdade, que, um dia, dia dos anos de minha amada mãe, 6 de fevereiro, se lembrou de abrir o jornal, e ao deparar com um anúncio para o Estado-Maior da Armada, resolveu ir ao Terreiro do Paço, candidatar-se…valeu-me o então Senhor Comandante Simões de Teles que, achando graça aquela figura de “pequenota”, me acolheu e, me arranjou professores para que eu pudesse saber todas as matérias necessárias para o ingresso na Armada…

E, lá entrei para a Marinha…meu pai chorou de emoção e alegria…era mais uma na família de “marujos”…

Ora, estando eu por ali há uns meses, e, almoçando na famosa messe dos Oficiais, forrada a casca de ovos, numa mesa super protetora, cujos oficiais, agora com Deus, jamais esquecerei, e, que tão bem tomavam conta de mim, a pedido da família…sim, porque naquela época não havia mulheres na marinha, por ali existia uma meia dúzia de distintas senhoras…

Assim, encontrava sempre à mesma hora um garboso jovem oficial da Reserva Naval, que, certamente, e, por vontade de Deus, me “catrapiscou”…e, eu a ele!! …sejamos sinceros!!

Mas este namoro deu muito trabalho aos apaixonados e, ao Senhor Almirante Soares Branco, que, com todo o carinho, me chamou para saber ao pormenor o porquê daquela paixão tão espontânea e que, levou a que o Senhor Almirante tivesse que autorizar o casamento por três vezes…Eu não tinha pressa, mas o rapaz sim...Assim, lá casámos…com todas as bênçãos e carinho da nobre Armada…e, a vida continuou.

Nasceu a minha filha que, aos 4 anos foi iniciada no mundo da briosa, o falecido e muito amigo senhor Comandante Correia Gonçalves, que, já tinha sido um dos meus protetores na mesa de almoço…assim, a gaiata e seus pais foram conhecer o mundo da revista, no Parque Mayer, e, todos os seus meandros… estava vacinada…a marinha ficara-lhe no seu pequeno coração..

E, agora, penso:-como seria bom ter um neto “marujo”!!! Gostava…e muito 

A vida continuou por entre aqueles saudosos corredores do então Ministério da Marinha. Não conseguirei mencionar todos os distintos oficiais, sargentos, praças e civis que tanto me ensinaram, protegeram e mimaram…seria exaustivo! Mas, tenho de recordar com muito carinho o Ilustre Senhor Comandante Abel de Oliveira…um humano e distinto chefe…

Recordo também com muita saudade, o senhor Almirante Sousa Leitão que, sempre com a sua nobreza de carácter, me honrava com as suas sempre inteligentes e ponderadas palavras…

Os anos foram passando, e, estando na Comissão de Direito Marítimo Internacional, tive o luxo de ser chefiada pelo senhor Almirante Machado e Moura e pelo muito amigo senhor Comandante Chuquere, alma nobre da briosa….foi um percurso lindo, pois ali conheci e convivi com distintas figuras da Marinha, que ainda hoje tenho, reconhecidamente, no coração. 

 Recordo os Senhores Comandantes Serra Brandão, Soeiro de Brito, Estácio dos Reis e, tantos outros que me ensinaram a caminhar pela vida fora….

Surge então o convite para ir para a Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses. longa etapa da minha vida, de momentos únicos e inolvidáveis…sempre com distintos oficias da Marinha ali trabalhei. recordo o Senhor Comandante Rodrigues da Costa oficial dinâmico e amigo. sempre com espírito de amizade e colaboração..recordo o Senhor Comandante Leonel Cardoso e, as suas exposições….recordo…recordo…

Mas a etapa que me deixou indeléveis marcas, foi aquela em que estive trabalhando com o *M I, Senhor Comandante Soeiro de Brito, a quem peço autorização, para aqui dizer, que, sempre ele a sua distinta Senhora, me consideraram da família.

Trabalhei muito, chefiei, assessorei….fui à expo em Sevilha, tantas tarefas que foram feitas com carinho, com amor…mas, valeu a pena…ali ficou parte da minha alma….

Não posso esquecer o Ilustre Senhor Doutor Vasco Graça Moura, que sempre teve a generosidade de ser meu amigo, nos bons e maus momentos da minha vida!

Passados quinze anos regresso à minha amada Marinha…e, mais uma vez, Deus lembrou-se de mim….fui recebida com muito carinho e generosidade…e, assim fiquei, não gosto de o dizer..a encaminhar a parte administrativa e, a assessorar o *M I e humano Senhor Almirante Leitão Rodrigues. Alma boa, alma generosa, que, com sua distinta mulher, sempre me apoiou nos momentos tristes que surgiram na minha vida. A doença de meu marido. Dói ver quem amamos sofrer…mas, ao entrar no gabinete, as lágrimas, quase sempre ficavam lá fora…era tempo de faina…havia que trabalhar…

Passando à reserva o muito estimado Senhor Almirante, surge um outro distinto chefe, o Senhor Almirante Vilas Boas Tavares, com quem gostei muito de trabalhar …era no duro, mas eu gosto assim…sentia-me realizada…Naquele gabinete havia momentos para tudo… para uma palavra de apoio nos momentos mais frágeis da minha vida…e, logo se partia para um árduo trabalho…

A minha vida estava levando um rude golpe…a degradação física do meu marido, devido à “Parkinson”. Homem inteligente, sempre com o cérebro a funcionar em pleno, pois conseguia dar pareceres, como Engenheiro que era, até à hora em que partiu para junto de Deus.

Assim, para que pudesse estar a seu lado, a Marinha facultou a minha saída, que devo, reconhecidamente, agradecer ao senhor Almirante Vilas Boas Tavares. E, a despedida deu-se…despedida física, pois a Marinha ficará na minha alma “ad eternum…”com todo o carinho.

Fui condecorada, publicamente, pelo Senhor Almirante José Augusto Vilas Boas Tavares, na Força de Fuzileiros, momento inolvidável, em que um misto de alegria e tristeza pairou no meu coração. Palavras de apreço, que jamais esquecerei, e, que o Senhor Almirante teve a generosidade de me dirigir…trocaram-se discretamente lágrimas…com a presença da minha filha, genro ( Coronel Comando) e de meu amado neto, minha força de viver!
Mas, o que eu jamais esperaria!?? Os meus amigos Fuzileiros, ofereceram-me alguns símbolos da sua arma, para que não esquecesse aquele momento e aquele histórico local, pedindo-me que os colocasse junto à condecoração, o que fiz com todo o respeito e, muito carinho.

Assim, amigos…entendem como a minha amada “briosa” faz e fará sempre parte desta minha já longa vida?!
Obrigada, meu Deus….por me teres traçado este nobre caminho, que, faria de novo, e, com o mesmo amor pela casa que me viu nascer…crescer… e ser “mulher”.
Maria João Rivotti
*M.I. = Mui Ilustre
**QPCM = Quadro do Pessoal Civil da Marinha



ZONA RESIDENCIAL DA BASE NAVAL DE LISBOA
( Foto de Sailors News )



CERIMÓNIA PARA A ENTREGA DA CONDECORAÇÃO
DE  MARIA JOÃO RIVOTTI - (QPCM)
09 DEZ 2007


Formatura em frente à Tribuna de Honra
(Foto do Álbum de Maria João Rivotti)


Banda da Marinha em frente à Tribuna de Honra
(Foto do Álbum de Maria João Rivotti)


Formatura de Honra dos Fuzileiros
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)




Presença da Escola Naval
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)


MARIA RIVOTTI, NA TRIBUNA DE HONRA AGUARDANDO
SER CONDECORADA
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)

Maria Rivotti a ser condecorada pelo
 Senhor Almirante José Augusto Vilas Boas Tavares
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)


Maria Rivotti, acompanhada para a Tribuna de Honra,
por um Tenente Fuzileiro
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)

Maria Rivotti, já na Tribuna de Honra, após a condecoração
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)
(Á equipa que coordena os Blogs, por favor não barrem a legalidade!!!)


Maria Rivotti, já na Tribuna de Honra, após a condecoração
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)
(Todas as fotos publicadas neste artigo, são propriedade da autora do texto)

Maria Rivotti, já na Tribuna de Honra, após a condecoração
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)
(PORQUÊ???)









Maria Rivotti, na companhia do seu querido e amado NETO
(Foto do Album de Maria Rivotti)


Sevilha - Igreja da Virgem de Triane (Expo-Sevilha)
( Foto do Album de Maria Rivotti)



quarta-feira, 2 de maio de 2012

PRIMEIRA COMISSÃO DA FRAGATA JOÃO BELO



FRAGATA JOÃO BELO 
 INÍCIO DA 1ª  COMISSÃO AO ULTRAMAR


SAÍDA DE LISBOA DA "JOÃO BELO",  RUMO AO ULTRAMAR
(Foto gentilmente cedida pelo camarada GARCIA)



VARIAS VISTAS DE LISBOA (1968)



RUMO A CABO VERDE ( MINDELO-ILHA DE S.VICENTE)

 (PONTE SOBRE O TEJO) - PONTE 25 DE ABRIL)
1968
Saímos de Lisboa no dia 20 de Dezembro de 1968, seguimos rapidamente para  S. Vicente, em  Cabo Verde, onde atracámos em 24 de Dezembro de manhã, para reabastecer e festejar o Natal. A festa não foi um sucesso porque o espaço era pouco e a gente muita! Transportávamos de Lisboa, uma Companhia de Fuzileiros, o que representava um excesso de 140 homens, numa guarnição de 200. Lá nos acomodá-mos todos na tolda conforme pudemos e, como a comissão estava a começar e a disposição era boa, sempre se comeu bem e bebeu melhor, em pé ou sentado num pé quadrado de lenço de assoar. E no dia 25 "disparamos" rumo a Luanda, onde fomos festejar a passagem de ano e desembarcar os Fuzileiros ( 8ª Companhia). São bons rapazes mas não sabem viver tanto tempo a bordo, em especial nas condições em que necessariamente vinham, e particularmente com balanço!
Sendo o primeiro dos nossos navios desta classe que visitava portos do hemisfério Sul, a presença da "João Belo" despertou um certo movimento de curiosidade. Fomos visitados pelas primeiras e segundas figuras da província e pelos órgãos de informação.
 (In Anais do Clube Militar Naval)
 Por Leonel Crdoso Cap-frag.




DIÁRIO DE NOTÍCIAS DE 24/12/1968 (Página 4)
                  (Texto da notícia do Diário de Notícias, transcrito na integra.)


PARTIDA
DE UNIDADES MILITARES DA ARMADA PARA O ULTRAMAR

DIÁRIO DE NOTÍCIAS DE 24/12/1968 (Página 4)

A bordo da fragata "Comandante João Belo" partiu no passado fim de semana com destino ao Ultramar a Companhia nº 8 de Fuzileiros composta por 4 oficiais, 14 sargentos e 137 praças, que ali vão cumprir a sua comissão de serviço.
A fragata "Comandante João Belo", do comando do capitão-de-fragata Leonel Cardoso, é o primeiro navio do tipo " Comandant Reviére", construído em França e fazendo parte do programa em realização, de renovação da Armada, destinado a estacionar nas nossas províncias ultramarinas em comissão normal de serviço. A sua  guarnição é de 14 oficiais, 30 sargentos e 156 praças.
A apresentar  cumprimentos de despedida, em nome do Ministro da Marinha e do Chefe do Estado-Maior da Armada, deslocou-se a bordo o Comodoro Jaime Lopes.


NOTA: - Nesta época, devido ao secretismo e censura  do Governo, as notícias, não eram dadas em tempo real, daí esta comunicação ter sido publicada neste jornal, já a Fragata Comandante João Belo, se encontrava em Cabo Verde, Ilha de S. Vicente, Cidade do Mindelo. 


Também transportava-mos uma Companhia de Fuzileiros!




SÃO VICENTE
Porto Grande do Mindelo, na Ilha de São Vicente-Cabo Verde
1968
São Vicente - Paisagem do interior - 1968

Cidade do Mindelo, Ilha de S.Vicente de Cabo Verde
(1968)


RUMO A LUANDA


Foto do blogue "Guerra Colonial"


Em 25 de Dezembro/68, zarpamos do porto do Mindelo, Ilha de São Vicente, rumo a Luanda, onde atracá-mos no dia 31/12/68, permanecendo nesta cidade até ao dia 3/1/1969, data em que zarpamos, par Lourenço Marques. Não consegui fotos, porque o tempo da estadia em Luanda, foi muito curto.

Quem já conhecia Luanda, ficou surpreendido por tão grande crescimento.

Quem não conhecia, surpreendido ficou ao verificar que Luanda estava muito mais desenvolvida que grandes cidades do Continente (Portugal).



Luanda-Angola - 1968




A NRP "COMANDANTE JOÃO BELO" PASSA A LINHA DO EQUADOR, PELA PRIMEIRA VEZ, EM 28/12/1968


INFELIZMENTE ATÉ ESTA DATA, NÃO CONSEGUI NENHUMA FOTO DO EVENTO, REALIZADO A BORO DA FRAGATA COMANDANTE JOÃO BELO. MAS POR OUTRO LADO, TIVE A SORTE DE CONSEGUIR UMA FILMAGEM, EXECUTADA PELO  SENHOR ENGº DE MÁQUINAS, ANTÓNIO NEVES DE CARVALHO, NA ALTURA 1º TENENTE, A QUEM FICO MUITO GRATO PELA CEDÊNCIA DESTA FILMAGEM DE 1968, A QUAL PASSO A PUBLICAR, APESAR DA SUA POUCA QUALIDADE, DEVIDO AO SEU TEMPO DE VIDA, E AO TIPO DE MATERIAL EXISTENTE NA ÉPOCA.

NOTA:- Já apareceu uma foto e promessas de mais, por filhos de ex-camaradas da 1ª Guarnição da Fragata João Belo.
Obrigado aos amigos deste blogue que estão a contribuir para melhorar a informação posta à disposição dos leitores
Graças à contribuição do Marº Radarista, Albino Leitão, foi possível publicar mais fotos, da Festa do Rei dos Mares, que fazem parte do seu espólio. 






FESTA DO REI DOS MARES A BORDO DA FRAGATA JOÃO BELO

Em 1968


(Foto recebida hoje 08/06/2012)

Esta foto, foi gentilmente cedida por Jorge Santos, filho do  camarada da 1ª

Guarnição, Aníbal Raimundo Gomes dos Santos - cabo F , principal figura da foto.

(Já falecido)

O nosso Comandante Leonel Cardoso, entre a Ninfa e o

 Rei Neptuno .O Comandante, sorrindo pelo belo aspecto da Ninfa,

 que nesta foto é o Marinheiro Radarista, Albino Leitão

O Capelão, Aníbal Raimundo Gomes dos Santos 

Castigo, ordenado pelo tribunal do Rei Neptuno, a quem pela primeira
vez transpunha a Linha do Equador, aplicado pelos carrascos, 
que se encontravam dentro da tina.


FESTA DO REI DOS MARES


NA ROTA ENTRE  S. VICENTE (CABO VERDE) E LUANDA, A FRAGATA JOÃO BELO TEVE QUE ATRAVESSAR, A LINHA DO EQUADOR, PRÓXIMO DE S.TOMÉ E PRÍNCIPE.COMO SEMPRE ACONTECE NESTES CASOS DA TRAVESSIA DA LINHA DO EQUADOR, REALIZA-SE UMA CERIMÓNIA CONHECIDA COMO "FESTA DO REI DOS MARES" (REI NEPTUNO).
O PRIMEIRO A ENFRENTAR O TRIBUNAL DE NEPTUNO, É O COMANDANTE DO
NAVIO,  É DEPOSTO PELO GRUMETE MAIS MODERNO (O MAIS MARRETA) E LEVADO A JULGAMENTO POR INVASÃO DO "REINO DE NEPTUNO".
 OS MEMBROS DA GUARNIÇÃO, OFICIAIS, SARGENTOS OU PRAÇAS, QUE PELA PRIMEIRA VEZ PASSAM O EQUADOR, TÊM QUE ENFRENTAR UM TRIBUNAL E A SENTENÇA SERÁ EXECUTADA EM PARTE PELOS "CARRASCOS", ENCAPUÇADOS, QUE SE ENCONTRAM DENTRO DE UMA TINA CHEIA DE AGUA, ONDE OS CONDENADOS IRÃO SER MERGULHADOS ATÉ BEBER UNS  "PIROLITOS" VALENTES.




FESTA DO REI DOS MARES A BORDO DA NRP "COMANDANTE JOÃO BELO"  EM 1999


A FRAGATA JOÃO BELO, NAVEGANDO RUMO AO RIO DE JANEIRO
FESTA DO REI DOS MARES - PASSAGEM PELO EQUADOR.
(Fonte - Mural da Fragata João Belo no Facebook.
 Publicação de JOSÉ ANTÓNIO ALMEIDA)


A FRAGATA CTE JOÃO BELO COM O RIO DE JANEIRO À VISTA,
 ONDE FOI ATRACAR.
(FONTE - Mural do Facebook da Fragata João Belo)
Publicação de José António Almeida


NOTA DO BLOGUER:- COMO NÃO SE CONSEGUIRAM AS FOTOS DESEJADAS, CONTACTOU-SE, VIA E-MAIL, OUTROS ESPAÇOS, PARA NOS DISPONIBILIZAREM AS SUAS FOTOS RELACIONADAS COM A REFERIDA FESTA, PARA DAR UMA IDEIA AOS LEITORES DESTE BLOGUE, COMO SE FESTEJA ESTE EVENTO, A BORDO DOS NAVIOS DE GUERRA PORTUGUESES.
A FRAGATA JOÃO BELO, AGRADECE A RECEPTIVIDADE DO BLOGUE "SAILORES NEWS", QUE PRONTAMENTE RESPONDEU AO APELO, PONDO À NOSSA DISPOSIÇÃO, O QUE DESEJAVA-MOS.
TODAS AS FOTOS COLORIDAS E PARTE DO TEXTO APRESENTADOS NESTA PUBLICAÇÃO, FORAM GENTILMENTE CEDIDAS POR "SAILORS NEWS" (http://missaonato09.blogspot.pt/)
Fotos: Carlos Dias (SPRS)
                                              




Eram 10h57, locais (-4 em Portugal Continental), quando cruzá-mos o Equador
Como manda a tradição, o/a Grumete mais moderna (Marreta) de bordo (neste caso a TFD Jesus), foi para o Castelo do Navio, à procura da tão famosa Linha do Equador!!!
 (Por favor não tornem a barrar esta foto, que está devidamente autorizada pela fonte supra-citada)
Avista a Linha, foi o momento de a cortar e assim estava consumada
 a passagem para o Hemisfério Sul.
 De seguida foi tempo de a Grumete Jesus assumir o Comando da "Barca" 
e levar até então o Comandante a julgamento, perante o Rei Neptuno.
 (Por favor não tornem a barrar esta foto, que está devidamente autorizada pela fonte supra-citada)


E assim, além do Comandante, toda a Guarnição (Oficiais, Sargentos e Praças) como a
foto demonstra, foi julgado pelo Tribunal de Neptuno, sendo severamente punidos,
com toda a espécie de castigos possíveis e imaginários, terminando na tina (tanque improvisado na popa do navio, feito com lona e madeira), para serem purificados de tal ousadia.



Por fim Neptuno abandonou a "Barca" com o dever de missão cumprido, ficando para recordação a foto do seu séquito, que mais uma vez honrou a verdadeira tradição marítima, ao invés de outros que antes por aqui passaram.
 (Por favor não tornem a barrar esta foto, que está devidamente autorizada pela fonte supra-citada)
-
Mas antes da tomada de posse, fez-se ouvir o poderoso Rei Neptuno.
O Rei dos Mares, falou alto e em bom som: - Oh infiéis, oh devassos, 
como ousam entrar no meu reino, sem a minha régia autorização(........),
 terá que ser julgado e pagar por tal ofensa.




OS FESTEJOS ACABADOS DE DESCREVER, FORAM PASSADOS
NESTE BELO VASO DE GUERRA  DA NOSSA ARMADA
NRP "ALVARES CABRAL" F331 (Missão Nato 2009)

FOTOS: - Carlos Dias (SPRS)



A FESTA DO REI DOS MARES NOUTRO NAVIO DA MARINHA DE GUERRA PORTUGUESA


FOTOS DE OUTRA FESTA DO REI DOS MARES, REALIZADA A BORDO DE UMA FRAGATA DA "CLASSE JOÃO BELO" A  NRP "COMANDANTE ROBERTO IVENS"-F482


NRP "COMANDANTE ROBERTO IVENS"
Fonte:-"barcoavista.blogspot.com)


NOTA:- TODAS AS FOTOS APRESENTADAS NESTE ITEM, 
TÊM COMO FONTE O BLOGUE (filhosdaescola73.blogspot.com)


O COMANDANTE DO NAVIO PERANTE O TRIBUNAL DE NEPTUNO
A BORDO DA F482


Festa do Rei dos Mares a bordo da F482


Tribunal de Neptuno






RUMO A LOURENÇO MARQUES - MOÇAMBIQUE

 No dia 03 de Janeiro de 1969, deixámos o seu belo porto a caminho de Lourenço Marques, onde chegá-mos no dia 09, tendo-nos o "Cabo" (Cabo das Tormentas) tratado bastante bem, quando se navegava a sul da África do Sul!
Integrados nas forças do Comando Naval de Moçambique, desde 06 de de Janeiro, 25 dias depois de largar de Lisboa a "FRABELO" encontrava-se a desempenhar a sua primeira missão, da comissão que lhe estava destinada, na BEIRA, tendo zarpado de Lourenço Marques, em 11 de Janeiro. ( a sua 1ª curta missão, foi o transporte de Fuzileiros para Bissau-Guiné, em 1967).

A FRAGATA JOÃO BELO EM AGUAS MOÇAMBICANAS-1969

( Foto gentilmente cedida por António Moleiro)





CHEGADA A LOURENÇO MARQUES - MOÇAMBIQUE
(09/01/1969)

Lourenço Marques-Cidade Baixa e Matola
1969

A  FRAGATA JOÃO  BELO, NA FOTO ACIMA APRESENTADA, 
ENCONTRA-SE
ATRACADA, NO PORTO DE LOURENÇO MARQUES, EM FRENTE
 À UNIVERSIDADE DE LOURENÇO MARQUES


NOTA: - ESTA UNIVERSIDADE, FOI CRIADA EM 1962, COM A DESIGNAÇÃO DE "ESTUDOS GERAIS UNIVERSITÁRIOS DE MOÇAMBIQUE". ADQUIRIU O ESTATUTO DE UNIVERSIDADE DE LOURENÇO MARQUES, EM 1968.
APÓS A INDEPENDÊNCIA DE MOÇAMBIQUE, FOI REBAPTIZADA DE  "EDUARDO CHIVAMBO  MONDLANE".



Vista aérea da Cidade de Lourenço Marques e Cais
(1969)









Lourenço Marques-Vista parcial da cidade.