segunda-feira, 7 de maio de 2012



NRP " COMANDANTE JOÃO BELO"

( Foto partilhada de "carvalhaisdelavos.blogspot.com")



HISTÓRIAS DE MARINHA
 E DE

 "MARINHEIROS/AS"

Medronhos-frutos da mata da BNL

NOTA DO BLOGUER : - O texto apresentado, é integralmente  escrito pela
 autora e reproduzido neste blogue.
Cortesia:- Maria João Rivotti **(QPCM)



RECORDANDO


Foto propriedade da autora do texto
 (À equipa do google, por favor
não eliminem a foto)
Dizem que os cheiros nos trazem à memória momentos inesquecíveis da nossa vida?! sim.

Parece que me estou vendo a correr por aquela bela mata de terra batida e enfeitada por belos medronheiros, por onde eu corria e saltitava, sempre com uma paragem num mini “jardim zoológico“ que ali existia… este belo mundo da minha infância era a bela mata da BNL
E, lá ia eu, pela mão do senhor Comandante Marcos Vieira Garin, de cuja mulher minha mãe era amiga, e que ficavam longos momentos conversando, na “ Praia da Bomba”…ah! ainda me lembro daquele famoso dia em que entrei rio adentro toda vestidinha e de botifarras…foi memorável…e, o trabalho que eu dei à marinha!! 

Recordo a chegada da vedeta ao cais das colunas, que, generosamente, os senhores Comandantes Garin ou Flecha de Mendonça, mandava para vir buscar, a mim e à minha mãe…

E fui crescendo…crescendo e, não querendo recuar demais, pois a estória é longa!

Sou neta de “marujo”, que honrava como um “pai” o senhor Almirante Ramalho Ortigão e sua distinta mulher, a Dona Teresita…Sou prima de “marujos”…Sou filha de “marujo aviador”…

E, acreditem! eu, que dizia não querer casar com nenhum “marujinho”, me apaixonei, nos apaixonámos…por um “reserva naval”. foi amor à primeira vista..acreditem!!

Ficou na história da briosa…deu muito trabalho e choros, pois eu era aquela miúda, saída da faculdade, que, um dia, dia dos anos de minha amada mãe, 6 de fevereiro, se lembrou de abrir o jornal, e ao deparar com um anúncio para o Estado-Maior da Armada, resolveu ir ao Terreiro do Paço, candidatar-se…valeu-me o então Senhor Comandante Simões de Teles que, achando graça aquela figura de “pequenota”, me acolheu e, me arranjou professores para que eu pudesse saber todas as matérias necessárias para o ingresso na Armada…

E, lá entrei para a Marinha…meu pai chorou de emoção e alegria…era mais uma na família de “marujos”…

Ora, estando eu por ali há uns meses, e, almoçando na famosa messe dos Oficiais, forrada a casca de ovos, numa mesa super protetora, cujos oficiais, agora com Deus, jamais esquecerei, e, que tão bem tomavam conta de mim, a pedido da família…sim, porque naquela época não havia mulheres na marinha, por ali existia uma meia dúzia de distintas senhoras…

Assim, encontrava sempre à mesma hora um garboso jovem oficial da Reserva Naval, que, certamente, e, por vontade de Deus, me “catrapiscou”…e, eu a ele!! …sejamos sinceros!!

Mas este namoro deu muito trabalho aos apaixonados e, ao Senhor Almirante Soares Branco, que, com todo o carinho, me chamou para saber ao pormenor o porquê daquela paixão tão espontânea e que, levou a que o Senhor Almirante tivesse que autorizar o casamento por três vezes…Eu não tinha pressa, mas o rapaz sim...Assim, lá casámos…com todas as bênçãos e carinho da nobre Armada…e, a vida continuou.

Nasceu a minha filha que, aos 4 anos foi iniciada no mundo da briosa, o falecido e muito amigo senhor Comandante Correia Gonçalves, que, já tinha sido um dos meus protetores na mesa de almoço…assim, a gaiata e seus pais foram conhecer o mundo da revista, no Parque Mayer, e, todos os seus meandros… estava vacinada…a marinha ficara-lhe no seu pequeno coração..

E, agora, penso:-como seria bom ter um neto “marujo”!!! Gostava…e muito 

A vida continuou por entre aqueles saudosos corredores do então Ministério da Marinha. Não conseguirei mencionar todos os distintos oficiais, sargentos, praças e civis que tanto me ensinaram, protegeram e mimaram…seria exaustivo! Mas, tenho de recordar com muito carinho o Ilustre Senhor Comandante Abel de Oliveira…um humano e distinto chefe…

Recordo também com muita saudade, o senhor Almirante Sousa Leitão que, sempre com a sua nobreza de carácter, me honrava com as suas sempre inteligentes e ponderadas palavras…

Os anos foram passando, e, estando na Comissão de Direito Marítimo Internacional, tive o luxo de ser chefiada pelo senhor Almirante Machado e Moura e pelo muito amigo senhor Comandante Chuquere, alma nobre da briosa….foi um percurso lindo, pois ali conheci e convivi com distintas figuras da Marinha, que ainda hoje tenho, reconhecidamente, no coração. 

 Recordo os Senhores Comandantes Serra Brandão, Soeiro de Brito, Estácio dos Reis e, tantos outros que me ensinaram a caminhar pela vida fora….

Surge então o convite para ir para a Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses. longa etapa da minha vida, de momentos únicos e inolvidáveis…sempre com distintos oficias da Marinha ali trabalhei. recordo o Senhor Comandante Rodrigues da Costa oficial dinâmico e amigo. sempre com espírito de amizade e colaboração..recordo o Senhor Comandante Leonel Cardoso e, as suas exposições….recordo…recordo…

Mas a etapa que me deixou indeléveis marcas, foi aquela em que estive trabalhando com o *M I, Senhor Comandante Soeiro de Brito, a quem peço autorização, para aqui dizer, que, sempre ele a sua distinta Senhora, me consideraram da família.

Trabalhei muito, chefiei, assessorei….fui à expo em Sevilha, tantas tarefas que foram feitas com carinho, com amor…mas, valeu a pena…ali ficou parte da minha alma….

Não posso esquecer o Ilustre Senhor Doutor Vasco Graça Moura, que sempre teve a generosidade de ser meu amigo, nos bons e maus momentos da minha vida!

Passados quinze anos regresso à minha amada Marinha…e, mais uma vez, Deus lembrou-se de mim….fui recebida com muito carinho e generosidade…e, assim fiquei, não gosto de o dizer..a encaminhar a parte administrativa e, a assessorar o *M I e humano Senhor Almirante Leitão Rodrigues. Alma boa, alma generosa, que, com sua distinta mulher, sempre me apoiou nos momentos tristes que surgiram na minha vida. A doença de meu marido. Dói ver quem amamos sofrer…mas, ao entrar no gabinete, as lágrimas, quase sempre ficavam lá fora…era tempo de faina…havia que trabalhar…

Passando à reserva o muito estimado Senhor Almirante, surge um outro distinto chefe, o Senhor Almirante Vilas Boas Tavares, com quem gostei muito de trabalhar …era no duro, mas eu gosto assim…sentia-me realizada…Naquele gabinete havia momentos para tudo… para uma palavra de apoio nos momentos mais frágeis da minha vida…e, logo se partia para um árduo trabalho…

A minha vida estava levando um rude golpe…a degradação física do meu marido, devido à “Parkinson”. Homem inteligente, sempre com o cérebro a funcionar em pleno, pois conseguia dar pareceres, como Engenheiro que era, até à hora em que partiu para junto de Deus.

Assim, para que pudesse estar a seu lado, a Marinha facultou a minha saída, que devo, reconhecidamente, agradecer ao senhor Almirante Vilas Boas Tavares. E, a despedida deu-se…despedida física, pois a Marinha ficará na minha alma “ad eternum…”com todo o carinho.

Fui condecorada, publicamente, pelo Senhor Almirante José Augusto Vilas Boas Tavares, na Força de Fuzileiros, momento inolvidável, em que um misto de alegria e tristeza pairou no meu coração. Palavras de apreço, que jamais esquecerei, e, que o Senhor Almirante teve a generosidade de me dirigir…trocaram-se discretamente lágrimas…com a presença da minha filha, genro ( Coronel Comando) e de meu amado neto, minha força de viver!
Mas, o que eu jamais esperaria!?? Os meus amigos Fuzileiros, ofereceram-me alguns símbolos da sua arma, para que não esquecesse aquele momento e aquele histórico local, pedindo-me que os colocasse junto à condecoração, o que fiz com todo o respeito e, muito carinho.

Assim, amigos…entendem como a minha amada “briosa” faz e fará sempre parte desta minha já longa vida?!
Obrigada, meu Deus….por me teres traçado este nobre caminho, que, faria de novo, e, com o mesmo amor pela casa que me viu nascer…crescer… e ser “mulher”.
Maria João Rivotti
*M.I. = Mui Ilustre
**QPCM = Quadro do Pessoal Civil da Marinha



ZONA RESIDENCIAL DA BASE NAVAL DE LISBOA
( Foto de Sailors News )



CERIMÓNIA PARA A ENTREGA DA CONDECORAÇÃO
DE  MARIA JOÃO RIVOTTI - (QPCM)
09 DEZ 2007


Formatura em frente à Tribuna de Honra
(Foto do Álbum de Maria João Rivotti)


Banda da Marinha em frente à Tribuna de Honra
(Foto do Álbum de Maria João Rivotti)


Formatura de Honra dos Fuzileiros
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)




Presença da Escola Naval
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)


MARIA RIVOTTI, NA TRIBUNA DE HONRA AGUARDANDO
SER CONDECORADA
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)

Maria Rivotti a ser condecorada pelo
 Senhor Almirante José Augusto Vilas Boas Tavares
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)


Maria Rivotti, acompanhada para a Tribuna de Honra,
por um Tenente Fuzileiro
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)

Maria Rivotti, já na Tribuna de Honra, após a condecoração
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)
(Á equipa que coordena os Blogs, por favor não barrem a legalidade!!!)


Maria Rivotti, já na Tribuna de Honra, após a condecoração
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)
(Todas as fotos publicadas neste artigo, são propriedade da autora do texto)

Maria Rivotti, já na Tribuna de Honra, após a condecoração
(Foto do Álbum de Maria Rivotti)
(PORQUÊ???)









Maria Rivotti, na companhia do seu querido e amado NETO
(Foto do Album de Maria Rivotti)


Sevilha - Igreja da Virgem de Triane (Expo-Sevilha)
( Foto do Album de Maria Rivotti)