Wikipedia

Resultados da pesquisa

sábado, 23 de junho de 2012


NRP "COMANDANTE JOÃO BELO" -  F480



HISTÓRIAS DE MARINHA E DE MARINHEIROS/AS


CRÓNICA DE MARINHA


DOIS ANOS POR ESSE MUNDO FORA
POR Leonel  Cardoso
Cap.-Frag







Há muito tempo que um dos nossos navios não realizava uma uma viagem tão variada e em que chegasse a Lisboa com tantas milhas andadas. Durante dois anos a Fragata "Comandante João Belo" navegou 84.000 milhas em mais de 6.000 horas, durante as quais visitou 32 portos, espalhados  por 3 continentes e 4 oceanos, e atracou 98 vezes e fundeou 84.

 Esteve em operações em Moçambique e em Angola, esteve em Macau e Timor, em visita de soberania, e em Sydney e Brisbane, em visita oficial. Visitou Hong-Kong, Port Darwin e Fremantle para reabastecimento, e Durban para docar. 

Teve a honra de transportar Sua Excelência o Chefe do Estado numa volta em torno da Ilha de S. Tomé e de escoltar o navio presidencial, "PAQUETE PRÍNCIPE PERFEITO" em parte da sua viagem. Colaborou nas comemorações camoneanas  na Ilha de Moçambique e na cerimónia de inauguração do novo edifício da Capitania e Defesa Marítima do Lobito.

Transportou Comandantes -Chefes, Generais e Almirantes, Comandantes de Forças Armadas Terrestres, Aéreas e Navais.

Recebeu visitas de dois Governadores-Gerais, de dois Governadores de Província, dum Cardeal e de três Bispos, doutras altas individualidades e de muito povo de várias raças.
Foi realmente uma comissão variada e durante a qual se colheram muitas impressões, se registaram muitos incidentes, se apontaram muitas peripécias - e até anedotas- que seria egoísmo guardarmos só para nós. por isso tentarei referir as mais interessantes, os mais característicos, ou os que mais me impressionaram.

EPISÓDIO I
Ao entrarmos em Hong-Kong, passámos por um navio de guerra americano, cujo nome não interessa, que, com grande surpresa minha e do próprio oficial de ligação (que embarca com o piloto),  enviou o seguinte sinal: «INT QRD - Qual o seu destino e de onde vem»? (ACP 131 (B) ).

Respondi-lhe apenas «TO SEA FROM SEA».... e num "cocktail" nessa noite o Comandante do referido navio apresentou-me as suas desculpas! É curioso como os sinaleiros americanos têm tendência para fazer perguntas de sua iniciativa. 

Em 1954, nos E.U.A. um deles perguntou a um draga-minas belga «WHICH FLAG ARE YOU FLYING?» e a sua resposta não se fez esperar «BELGIAN. WHICH IS YOURS»?! Ainda ao mesmo draga-minas, cujo Comandante tinha sempre resposta pronta, perguntaram-lhe um dia «HAVE YOU WOMEN ON BOARD?» ao que ele respondeu «NEGATIVE. PLEASE SEND FORTY FIVE»!....tantas quantos os homens do seu navio.

EPISÓDIO II
Fomos para Durban, onde docámos e ali fomos encontrar um ambiente de grande simpatia. 

Por vontade dos "farmers" dos arredores, o navio teria estado sempre reduzido ao pessoal de serviço pois queriam ter marinheiros em suas casas todo o tempo.

Lembro-me de um Domingo ter ido com um casal amigo, visitar uma fazenda onde havia já dois dias estavam instalados 3 das nossas praças. Encontrei-os felicíssimos, brincando na piscina com os filhos dos donos da casa e outras crianças da vizinhança, e um cabo-fogueiro com a barriga espreitando por cima dos calções de banho, disse-me com um sorriso :- Oh Senhor Comandante, quem é que agora nos irá levar o mata-bicho à cama, lá a bordo?!


Seis «barbudos» da "João Belo" desembarcando uma réplica de padrão
na Ilha de Goa (Comemorações Camoneanas em Moçambique)
Estas comemorações, foram celebradas na Ilha de Moçambique-1969

Capitania e  Comando  da Defesa Marítima
LOBITO-ANGOLA 1970
Guarnição da Fragata João Belo, nas cerimónias de inauguração do novo edifício
da Capitania e C.D.M. Lobito - Angola, 1970

Marinheiros da Fragata João Belo, passeando em Durban - 1969
África do Sul

Capa do ANAIS do Clube Militar Naval, onde se encontra a publicação do nosso Comandante
 1971


NOTA DO BLOGUER
Este blogue irá dar continuidade às crónicas, escolhidas na sua narração, porque o nosso Comandante LEONEL CARDOSO, legou-nos uma importante e bela história escrita no ANAIS DO CLUBE MILITAR NAVAL, a quem agradeço a colaboração, para que estas crónicas informativas, fossem aqui publicadas.
Até breve.